Nesta quinta-feira (26), o Ministério da Saúde atualizou os casos de coronavírus (Covid-19) no Brasil. Ao todo, foram registrados 2.915 casos confirmados e 77 óbitos em decorrência da doença. Os mais vulneráveis são pessoas com mais de 60 anos e pacientes com comorbidades como cardiopatia (condição mais frequente entre casos e óbitos) e diabetes.

Durante coletiva de imprensa, o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, destacou que o Governo Federal já enviou quase 7 milhões de máscaras para os estados distribuírem para a rede de saúde conforme a necessidade de cada localidade. 

“Faremos o possível para ter o menor número de casos e óbitos nos próximos 30 e 60 dias. Nosso desafio é fazer com que essa curva cresça o mínimo possível”, destacou Gabbardo.

Já o secretário de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, falou sobre os pontos positivos da saúde brasileira. “Um dos pontos positivos é a fortaleza do sistema de vigilância epidemiológica do Brasil. Detectamos oportunamente. Ativamos o Centro de Operações de Emergência. Estamos dando transparência aos dados de notificação. Aprovamos leis, decretos e portarias. E instruímos o sistema. O volume de trabalho [tem sido] intenso desde o primeiro caso”, enumerou.

Canal para a população

O Ministério da Saúde lançou um canal para atender população no aplicativo WhatsApp. A ferramenta esclarece dúvidas, auxilia no diagnóstico, informa sobre rede de assistência e orienta profissionais de saúde.

O canal é exclusivo e gratuito para tratar do coronavírus. Um bot (robô de atendimento automático) receberá perguntas e fornecerá orientações sobre a doença. A programação do robô inclui recomendações sobre como agir frente a casos suspeitos, formas de contaminação, prevenção, ações do Ministério e desmistificação de boatos sobre o vírus. O bot pode ser acessado no WhatsApp Web e a conversa deve ser iniciada com um “Oi”. https://bit.ly/sauderesponde 

“Desde o início da circulação do coronavírus no mundo, o Ministério da Saúde trata com total transparência as informações referentes ao tema. Esta ferramenta permitirá mais um contato imediato do cidadão com as diretrizes oficiais e informações verídicas, diretamente da fonte, evitando equívocos em um momento de cuidado extremo”, reforça o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

 

Com informações do Ministério da Saúde