Um servidor do Hospital Regional de Taguatinga, no Distrito Federal, denuncia: a unidade de saúde está recebendo por semana apenas 40 peças de máscaras, luvas e vestimenta de proteção, chamada de capote. Com medo de represália, o enfermeiro pediu para não ser identificado e teve a voz alterada.

 

A Secretaria de Saúde do DF diz ter adotado um regime de reposição semanal.

 

A secretaria informou ainda ter identificado que alguns hospitais estavam com estoque acima do necessário para o novo período estipulado, dificultando o controle. Nestes casos foram recolhidos os excessos e enviados para a Central de Distribuição.

 

A pandemia do novo coronavírus gerou aumento do consumo dos EPIs no Brasil e no mundo. Ao mesmo tempo, tem provocado dificuldades para a produção industrial.

 

De acordo com a Subsecretaria de Logística de Saúde, o fornecedor de máscaras do DF não está conseguindo produzir o suficiente para atender os pedidos. Elas são feitas de acordo com a sua capacidade de produção.

 

A reportagem procurou o sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do DF, mas o Sindisaúde não se posicionou sobre a demanda dos trabalhadores.