Com a escassez de álcool em gel 70% nas farmácias de todo o Brasil, estudantes e servidores do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) propõem  a produção para consumo interno.  A ideia foi encaminhada para a direção da instituição visando a situação de pandemia de coronavírus no País. A medida emergencial foi aprovada pela reitoria.

O produto vai ser fabricado nos laboratórios dos campi do IFRJ localizados em Arraial do Cabo, Niterói, Nilópolis, Realengo e no Rio de Janeiro. As unidades foram escolhidas por possuírem estrutura e profissionais técnicos de química que serão responsáveis pelo processo de produção do álcool em gel 70%.

O reitor do instituto está satisfeito com a proposta vinda dos servidores e estudantes. “Essa é uma bela iniciativa que me enche de orgulho e deixa claro o nosso papel social como instituição de educação”, afirmou, Rafael Almada.

A produção do álcool em gel 70% só possível depois da publicação de uma Resolução da Diretoria Colegiada (RDC), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O texto autoriza as farmácias de manipulação a produzirem e distribuírem produtos antissépticos ou sanitizantes, em caráter temporário.  

Após a apresentação do projeto de produção do álcool em gel no campi do IFRJ, o reitor do instituto encaminhou oficio para Anvisa solicitando a liberação de fabricação. “Enviamos um ofício à Anvisa solicitando, também, autorização para que possamos fazer a distribuição externa da nossa produção”, explicou o reitor do IFRJ.

Vão ser investidos inicialmente no projeto R$ 50 mil oriundos da reitoria do Instituto Federal. A ação faz parte de uma parceria da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) com a Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação (Proppi).

Com informações do Ministério da Educação e Instituto Federal do Rio de Janeiro