Seis partidas, seis vitórias e uma façanha de Pelé, o primeiro e único vencedor de três Copas do Mundo; relembre toda trajetória da Seleção Brasileira até a grande final no México

Há exatos 54 anos a Seleção Brasileira conquistava a Copa do Mundo de 1970, no México. Foi a consagração de uma equipe que esbanjava talento e que tinha na genialidade de Pelé a sua maior referência. O camisa 10 tornou-se naquela competição o primeiro e único jogador a ganhar três Copas do Mundo – marca que permanece até hoje.

Sob o comando do técnico Zagallo, o terceiro título mundial do Brasil não foi fácil, mas terminou impecável. Em seis jogos, foram seis vitórias, numa campanha com 100% de aproveitamento, com 17 gols marcados. Mesmo no grupo que era considerado o mais difícil do Mundial de 1970, a Seleção Brasileira conseguiu passar por adversários como Tchecoslováquia, Inglaterra, Romênia, Peru, Uruguai e, por fim, a Itália.

Fotos Gerais - Obituário - Pelé

Conquista do terceiro título mundial pela Seleção Brasileira
Créditos: Acervo CBF

Na final, a Seleção derrotou a Itália por 4 a 1. Os gols da partida foram marcados por Pelé, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto Torres. Boninsegna fez o gol de honra dos italianos no Estádio Azteca, na Cidade do México. Com o título, o Brasil foi o primeiro time a chegar ao tricampeonato mundial, fato que lhe garantiu a posse definitiva da taça Jules Rimet. Antes dessa conquista, a Seleção tinha sido campeã também em 1958 e 1962. 

Relembre toda trajetória da Seleção Brasileira até a grande final e o título Mundial no México.

Brasil 4×1 Tchecoslováquia

A expectativa pela estreia na Copa do Mundo era alta, mas o Brasil conseguiu começar com o pé direito. Ou melhor, com o esquerdo, já que foi com esse que Rivellino fez o gol de empate que motivaria a reação brasileira para buscar a vitória. Pelé e Jairzinho (duas vezes) fecharam o placar daquele embate.

Brasil 1×0 Inglaterra

Épico. Assim pode ser definida a partida contra a Inglaterra na segunda rodada da fase de grupos. Naquele que era considerado o confronto mais difícil daquela etapa para os brasileiros, o talento e artilharia de Jairzinho se sobressaíram e os ingleses não conseguiram reagir. Encaminhando a classificação para as quartas de finais, aquele foi um ponto chave para que o time ganhasse de vez a confiança de todos.

Fotos da Copa do Mundo de 70 do fotógrafo Sebastião Marinho

Jairzinho no momento do chute do gol contra a Inglaterra, um dos duelos mais difíceis daquela Copa
Créditos: Sebastião Marinho

Brasil 3×2 Romênia

Este foi o único jogo em que o Brasil sofreu críticas por parte da imprensa e dos torcedores. Sem algumas de suas peças, como Gérson e Rivellino, Zagallo fez mudanças importantes e contou com o brilho de Paulo Cézar Caju e Clodoaldo para a vitória. Dúvida antes da partida, Pelé foi autor de dois gols e Jairzinho também anotou o seu.

Brasil 4×2 Peru

No confronto entre o Rei do Brasil, Pelé, e o Rei do Peru, Cubillas, o camisa 10 brasileiro se saiu melhor. Debaixo de um sol forte no Estádio Jalisco, Rivellino, Jairzinho e Tostão (duas vezes) fizeram os gols que levaram a Seleção para a semifinal da competição. Em campo, o Brasil abriu 2 a 0 no placar e viu os peruanos tentarem o empate, mas o triunfo foi verde e amarelo mais uma vez.

Fotos da Copa do Mundo de 70 do fotógrafo Sebastião Marinho

Rei Pelé em ação no jogo contra o Peru, pelas quartas de final da Copa do Mundo de 1970
Créditos: Sebastião Marinho

Brasil 3×1 Uruguai

O jogo mais esperado da Copa do Mundo de 1970 foi a semifinal entre brasileiros e uruguaios. Graças ao fantasma do Mundial de 1950, o Brasil sabia que precisava afastar a lembrança e criar uma nova jornada. Quando, na véspera do embate, o técnico do Uruguai declarou que já estava pensando na decisão, a Seleção ganhou uma motivação a mais e fez uma partida fantástica. Clodoaldo, Jairzinho e Rivellino foram responsáveis pelos gols.

Brasil 4×1 Itália

E então veio a decisão. Naquele dia 21 de junho de 1970, Brasil e Itália entraram em campo para batalhar pela Taça Jules Rimet. Até ali, cada seleção tinha dois títulos. A alta expectativa e confiança dos brasileiras foi justificada, já que, após início duro, a Amarelinha brilhou. Com todos os jogadores disponíveis para a partida, Zagallo levou a campo o que tinha de melhor. A escalação foi a que mais se repetiu durante o Mundial, com o time-base formado por: Félix; Carlos Alberto Torres (c), Brito, Piazza e Everaldo; Clodoaldo e Gérson; Jairzinho, Pelé, Rivellino e Tostão.

Carlos Alberto Torres - Copa do Mundo de 1970

Carlos Alberto Torres – Copa do Mundo de 1970
Créditos: FIFA

Os italianos vinham de uma batalha histórica contra a Alemanha Ocidental na semifinal da Copa do Mundo. Apontado por muitos como um dos melhores jogos da história dos Mundiais, o confronto com os alemães terminou com triunfo da Azzurra por 4 a 3, após tempo extra. Nos 90 minutos, houve empate por 2 a 2. Depois, a Itália saiu na frente na prorrogação, sofreu novo empate e finalmente fez o gol da classificação, aos 114 minutos de partida.

Todo esse desgaste fez com que o Brasil chegasse à final com um pouco mais de disposição física. O jogo decisivo marcou uma série de feitos individuais para a Seleção Brasileira. Jairzinho terminou o Mundial como vice-artilheiro, com sete gols, e se tornou o primeiro campeão a marcar em todos os seis jogos de sua seleção. Pelé voltou a marcar em uma final de Copa do Mundo e se tornou o único jogador três vezes campeão mundial da história. O Rei ainda terminou a competição com seis assistências.

Jornal O Globo cita jogadas genias de Pelé após final da Copa do Mundo de 1970

Jornal O Globo cita jogadas genias de Pelé após final da Copa do Mundo de 1970
Créditos: Acervo O Globo

 

Categorized in:

Esportes,

Última atualização: 24 de junho de 2024